0

Otimismo com pacote dos EUA predomina enquanto futuro do auxílio emergencial segue incerto

Fechar

19 de outubro de 2020

Cesta básica: o que você precisa saber hoje para ficar bem informado

Por Weruska Goeking, Valor Investe — São Paulo

Confira a matéria original no Valor Investe

Fique de olho

As bolsas lá fora começam a semana com um viés otimista com mais – SIM, MAIS UM – um capítulo da eterna novela do impasse de republicanos (partido de Donald Trump) e democratas sobre um novo acordo de estímulos econômicos.

A presidente da Câmara dos Deputados americana, a democrata Nancy Pelosi, disse à Casa Branca que o prazo para chegar um acordo sobre o pacote de estímulos é amanhã (20). Depois disso, segundo Pelosi, será impossível uma negociação por causa da eleição presidencial marcada para 3 de novembro.

As declarações de Pelosi acendem uma nova chama de esperança de que a economia americana receba novos impulsos econômicos ainda neste ano.

Dados econômicos mostrando a recuperação da China após os piores efeitos da pandemia de covid-19, ainda que abaixo do esperado, também ajudam no otimismo (veja mais sobre os dados abaixo).

“A bolsa brasileira deve continuar refletindo, pelo menos hoje, a melhora internacional”, diz Mauro Morelli, estrategista da assessoria financeira Davos.
Por aqui, ainda pesam as incertezas sobre a continuidade do pagamento do auxílio emergencial, já que isso significaria mais gastos e teto de gastos e compromisso com austeridade fiscal em risco.

Segundo apuração do jornal Valor Econômico durante o fim de semana, uma ala do governo e parlamentares do Centrão intensificaram as articulações nos últimos dias para viabilizar a prorrogação do decreto de calamidade pública por pelo menos um trimestre.

A prorrogação do decreto de calamidade permitiria esticar também os pagamentos do auxílio emergencial e também dar mais tempo para que o programa Renda Cidadã seja elaborado e, principalmente, sua fonte de financiamento seja encontrada.

A mobilização dos parlamentares não conta com o apoio do ministro da Economia, Paulo Guedes, e enfrenta resistência do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que alega que o mecanismo é inconstitucional.

Guedes disse, em evento da XP na noite de sexta-feira (16), que “não há nenhum plano para estender o auxílio emergencial” e que o governo está procurando uma “aterrissagem suave para o benefício”.

Bolsas internacionais
As bolsas da Ásia fecharam sem direção única, com os ganhos no continente impulsionados pelo crescimento de 4,9% do PIB da China no terceiro trimestre ante o mesmo período do ano passado.

O dado ajudou as ações de maneira geral, mas nas bolsas chinesas houve reversão no apetite ao risco depois que parte dos investidores interpretaram o número como um motivo que reduz a possibilidade de novos estímulos econômicos por parte do governo chinês.

Na Bolsa de Xangai, o índice Xangai Composto perdeu os ganhos durante a sessão e fechou em queda de 0,71%. O mesmo movimento foi visto na Bolsa de Shenzen, onde o Shenzen Composto recuou 0,70%.

Por outro lado, o Hang Seng, referência da Bolsa de Hong Kong, terminou o dia em alta de 0,64%. O Nikkei, da Bolsa de Tóquio, subiu 1,11%, e o Kospi, da Bolsa de Seul, avançou 0,22%.

O crescimento de 4,9% PIB trimestral da China foi impulsionado pelos gastos do consumidor e pela produção industrial e levou a economia do país a um ritmo acelerado aos níveis de antes da pandemia.

A China foi o primeiro país a sofrer surtos de coronavírus e o primeiro a sair da pandemia e começar a reabrir sua economia. Após contrair 6,8% no primeiro trimestre deste ano, a economia já havia crescido 3,2% no trimestre segundo trimestre, em uma base anual.

A expansão na comparação com o trimestre imediatamente anterior foi de 2,7% e ficou abaixo do esperado, mas a recuperação da maior economia da Ásia é uma boa notícia para outros países que dependem fortemente do comércio com a China, incluindo o Japão.

As bolsas europeias operam em alta na expectativa de novo acordo nos Estados Unidos em meio ao aumento no ritmo de contaminação por covid-19 no continente, que limita os ganhos. O mesmo caminho é seguido pelos índices futuros em Wall Street.

Agenda
A agenda do dia não traz tantos indicadores econômicos como destaque nem no Brasil nem no exterior, mas alguns eventos devem ser acompanhados com atenção pelos investidores.

Por aqui, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, participa rapidamente de evento do Milken Institute, às 11h15.

No exterior, o dia também concentra discursos importantes de banqueiros centrais, com destaque para a participação do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, em evento do Fundo Monetário Internacional (FMI), , às 9h, e para discurso da presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, às 9h40.

Empresas
A família Brenninkmeijer controladora da varejista de moda C&A, sediada na Holanda, considera vender sua posição na operação brasileira, como parte de um plano de concentrar os negócios na Europa, apurou o Valor Econômico.

A Petrobras deve divulgar amanhã, em seu relatório operacional, crescimento da ordem de 5% na produção de petróleo no Brasil no terceiro trimestre de 2020, ante o segundo trimestre. A estatal produziu, em média, 2,25 milhões de barris diários entre julho e setembro — o que representa uma alta de 5,1% em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 4,5% na comparação anual, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O Grupo Mateus, varejista alimentar responsável pela maior oferta pública inicial de ações do ano (IPO, da sigla em inglês), relatou em documento enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que auditores identificaram “deficiências moderadas” nos controles internos da empresa. São mencionados lançamentos “off book” (registros fora do livro contábil) e operações entre partes relacionadas com saldos relevantes já vencidos há longa data, mas sem a devida baixa, diz o texto.

A Rede D’Or São Luiz adquiriu participação acionária representativa de 100% da Clínica São Lucas, localizada no município de Macaé, norte do Rio de Janeiro, que conta com 55 leitos instalados.

A PDG Realty, em recuperação judicial, informou na noite de hoje que fará aumento de capital para viabilizar a capitalização facultativa de créditos, desta forma os credores poderão optar pelo recebimento de ações da companhia. O aumento de capital será feito mediante emissão privada de novas ações ordinárias.

A Focus Energia Holding Participações protocolou na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a minuta do prospecto preliminar para abertura de capital na B3. De acordo com o documento, a oferta será primária e secundária, de ações ordinárias, seguindo as regras para colocação no Novo Mercado. Os coordenadores da oferta serão o Morgan Stanley (coordenador líder), o Santander e o Citigroup Global Markets Brasil Corretora de Câmbio.

A Light prepara um aumento de capital de R$ 1,5 bilhão, para financiar um plano intenso de combate às perdas, em cinco anos, disse o banqueiro Ronaldo Cezar Coelho, que se tornou, este ano, o principal investidor privado da companhia fluminense, com cerca de 20%.

Embora ainda exista um cenário incerto em relação a privatização da companhia, assunto que só deve ser retomado pelo Congresso em 2021, o Bank of America (BofA) recomendou a compra de ações da Eletrobras, em relatório divulgado na sexta-feira. Depois de anos, o BofA voltou a cobrir a companhia. “Vemos as ações sendo negociadas a um valor atraente, mesmo em cenários conservadores das estatais”.