0

Ibovespa sobe com ajuda do mercado internacional

Fechar

08 de outubro de 2020

Investidores aguardam aprovação de novos estímulos nos Estados Unidos; mercado local segue preocupado com risco fiscal

Por Guilherme Guilherme – Publicado originalmente no Portal Exame

A bolsa brasileira abriu em alta, nesta quinta-feira, 8, acompanhando o cenário externo positivo. No mercado internacional, os investidores seguem otimistas sobre a aprovação de algum pacote de econômico nos Estados Unidos, mesmo que pequeno. Às 12h06, o Ibovespa subia 1,07% para 96.549pontos.

Estímulos

As esperanças sobre incentivos fiscais cresceram ainda na véspera, quando a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, sinalizou que estaria disposta a aceita um pacote de auxílio às companhias aéreas. O estímulo ao setor foi um pedido do presidente Donald Trump, que voltou atrás sobre a decisão de impedir que sua equipe continuasse as conversas sobre o tema.

Segundo o chefe de gabinete de Nancy Pelosi, Drew Hammill, a deputada e o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, negociaram durante 20 minutos sobre os estímulos às áreas, mas não chegaram a um acordo definitivo. Ainda de acordo com Hammil, as conversas devem continuar nesta quinta.

Risco Fiscal

No mercado local, os investidores seguem duvidosos sobre a possibilidade de o governo estender o auxílio emergencial para o ano que vem, embora o ministro Paulo Guedes tenha afirmado que o programa encerrará em no fim de dezembro. Na quarta-feira 7, reportagens da Veja e do Poder 360 afirmaram que o governo estuda a medida. “O mercado não é bobo. Sabe que onde há fumaça, há fogo”, afirma Jefferson Laatus, estrategista-chefe do Grupo Laatus.

“A dúvida permanece. O programa de renda social é um ato político muito importante para a popularidade do governo. Eles só estão postergando para depois das eleições. O grande problema do Brasil é o fiscal”, afirma Mauro Morelli, estrategista da Davos.

IRB Brasil

As ações do IRB têm um pregão de forte recuperação, disparando pouco mais de 9% e chegando a tocar 11% de alta nos primeiros negócios do dia. O ativo vinha de 23% de queda acumulada nos últimos dois dias. O gatilho para as recentes desvalorizações da companhia foi um relatório, produzido por analistas do UBS, com recomendação de venda e preço alvo cerca de 50% abaixo do praticado no início da semana.

Bancos

Os grandes bancos apresentam forte valorização nesta quinta e ajudam a impulsionar o Ibovespa, após analistas do UBS alertar sobre a possibilidade de eles apresentarem aumento de lucro de 16% no terceiro trimestre em relação ao trimestre anterior. As ações do Santander sobem 4,46%, enquanto Itaú e Bradesco avançam 3,4% e 3,26%, respectivamente. Os papéis do Banco têm apreciação de 2%. No mercado, também há a quase um consenso de que o setor está “barato”. “Os bancos estão bem descontados. Com os balanços do terceiro trimestre chegando, existe a expectativa de reprecificação dos ativos, principalmente a chance de os provisionamentos serem reduzidos, o que beneficiaria os resultados”, afirma Régis Chinchila, analista da Terra Investimentos.

Petrobras

As ações da Petrobras sobem 1% na primeira hora de pregão, acompanhando a valorização do barril de petróleo no exterior. A alta da commodity ocorre em meio à passagem do furacão Delta sobre o Golfo do México, reduzindo a exploração de petróleo da região em cerca de 80%, segundo a Secretária de Segurança e Fiscalização Ambiental dos Estados Unidos (BSEE, na sigla em inglês). No mercado de futuros internacional, o petróleo sobe cerca de 2,4%.

Magazine Luiza

As ações da Magazine Luiza se valorizam 1,5%, após ter sido aprovada o desdobramento de ações de 1 para 4, que deve proporcionar maior liquidez para o ativo, tendo em vista sua maior acessibilidade. Os papéis da companhia são cotados a cerca de 90 reais.

Dados Econômicos

No radar econômico, estão os pedidos semanais de desemprego dos Estados Unidos, que ficaram levemente piores que o esperado, em 840.000 ante a expectativa de 820.000. Mas, como os números da semana anterior foram revisados de 837.000 para 849.000, os dados desta semana foram os melhores desde o início dos impactos da pandemia no mercado de trabalho americano.

No Brasil, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) divulgou as vendas do varejo de agosto, que tiveram o quarto mês de recuperação consecutiva. A alta mensal foi de 3,4% contra o crescimento esperado de 3,1%. No entanto, a alta anual decepcionou, ficando em 6,1%, ante as estimativas de um aumento de 7%.